Emulador universal salva informação digital para futuras gerações

Emulador universal salva informação digital para futuras gerações

Quem gosta de jogos de computadores mais antigos costuma ter uma
coleção de emuladores quase tão grande quanto a própria coleção de
games. Isso acontece porque cada emulador é específico para uma
plataforma, tanto de origem quanto de destino – um emulador que lhe
permite hoje jogar Space Invaders no PC não o permitirá fazê-lo nas plataformas do futuro.

Emulador universal

Pensando nisto, um grupo de pesquisadores europeus começou um
projeto mais ambicioso: eles estão construindo um emulador universal,
um programa capaz de reconhecer e rodar todos os tipos de arquivos de
computador já gerados até hoje,

O emulador universal reconhecerá os dados antigos nos computadores
atuais e poderá ser facilmente atualizável para rodar nas novas
arquiteturas de informática que ainda serão desenvolvidas no futuro.

O projeto foi batizado de Keep, a palavra em inglês para manter. O termo é também um acrônimo para Keeping Emulation Environments Portable – mantendo os ambientes de emulação portáveis.

Herança digital

O objetivo do Keep é garantir o acesso das futuras gerações a todos
os arquivos digitais já produzidos e que serão produzidos doravante,
incluindo arquivos de texto, som, imagens, multimídia, sites, bases de
dados e videogames.

"As pessoas não pensam duas vezes ao salvar seus arquivos
digitalmente – das fotos capturadas com o celular até arquivos com
informações governamentais. Mas cada arquivo digital corre o risco de
ser perdido, seja pela degradação da mídia, seja porque a tecnologia
usada para lê-lo irá simplesmente deixar de existir," diz a professora
Janet Delve.

"As antigas gerações deixaram um rico acervo de livros, cartas e
documentos que nos dizem quem eles foram, como eles viveram e o que
eles descobriram. Há um risco real de que nós possamos deixar como
herança um espaço em branco na história," diz ela.

Escribas digitais

Um emulador universal pode ser a única opção para evitar essa perda
de informações. Copiar todas os dados gerados para nas novas
plataformas, à semelhança de escribas digitais modernos, é impraticável
– calcula-se que em 2010 a informação digitalizada será equivalente a
18 milhões de vezes o conteúdo de todos os livros já escritos desde o
início da civilização.

Além da dificuldade técnica, a simples cópia coloca riscos
adicionais, tanto de erros nas cópias quanto de danos às mídias
originais.

"A diferença com a emulação é que você está livre desses problemas.
Cada vez que o hardware, o software, os sistemas operacionais ou
qualquer outra coisa seja atualizada, a máquina Keep simplesmente
emulará esta nova plataforma. Será um mecanismo à prova de futuro," diz
Dan Pinchbeck, outro membro do grupo.

Os trabalhos do projeto Keep começaram em janeiro e deverão se estender até 2012.

Fonte : Inovação Tecnológica

Deixe uma resposta