Campo de força magnético vai permitir viagens a Marte e além

"Levantar escudos." Muito conhecida pelos amantes da ficção
científica, esta expressão logo poderá tornar-se realidade. Não para
permitir a defesa de nossas espaçonaves contra os Klingons e outros
alienígenas, mas para proteger nossos astronautas da própria radiação
espacial.

Este é o resultado inesperado de uma outra área de pesquisas muito
promissora, a da fusão nuclear. Muito antes de criar uma fonte
inesgotável de energia limpa, as pesquisas com a fusão nuclear começam a mostrar resultados na área das viagens espaciais.

Clima espacial

Em um artigo que acaba de ser publicado na revista científica Plasma Physics and Controlled Fusion,
os cientistas afirmam ter descoberto formas de reduzir a radiação
espacial a níveis aceitáveis para o ser humano, tornando as viagens
espaciais de longa duração um objetivo mais próximo da realidade.

A comunidade científica é unânime em afirmar que o chamado "clima
espacial" é o maior obstáculo às viagens espaciais. A radiação do Sol e
os raios cósmicos representam ameaças mortais para os astronautas. Pelo
menos até que seja possível criar escudos eficientes o bastante para
manter essa radiação do lado de fora das espaçonaves.

Escudo para espaçonaves

Agora, utilizando o conhecimento acumulado ao longo de décadas pelas
pesquisas com a fusão nuclear, os cientistas demonstraram que é
possível criar um escudo para as espaçonaves, uma espécie de
magnetosfera portátil, que imita o funcionamento do campo de força
natural da Terra.

O objetivo desse campo de força será manter afastadas as partículas
de alta energia que surgem praticamente sem avisos na forma de
"tempestades espaciais". Na Terra somos protegidos por uma espécie de
"bolha magnética" – o nosso próprio campo de força natural, chamado
magnetosfera, que mantém essas partículas afastadas.

Campo de força

A idéia de criar um campo de força ao redor das espaçonaves existe
desde os anos 1960, mas acreditava-se que ela não seria prática porque
mesmo uma "mini-magnetosfera" teria que ser muito grande para
funcionar, ao redor de 100 quilômetros de diâmetro.

Usando os equipamentos originalmente construídos para trabalhar com
a fusão nuclear, os cientistas recriaram uma minúscula porção de vento
solar e confirmaram que é possível criar um "buraco" nessa onda de
radiação usando um equipamento em pequena escala, em dimensões práticas
e com poder suficiente para manter protegida uma espaçonave.

O gerador de campo magnético que será responsável pelo cumprimento
da ordem de "Levantar escudos" tem apenas 1,5 metro de comprimento.

"Os experimentos iniciais mostraram-se promissores e demonstraram
que pode ser possível criar um escudo para manter os astronautas
protegidos das mortais tempestades espaciais," comentou a Dra. Ruth
Bamford, uma das participantes da pesquisa.

Fonte : Inovação Tecnológica

Deixe uma resposta