Picos – Brasil – Atualização

Picos

Altitude (Antiga)
(m)

Localização

Visitado / Previsão
Pico da Neblina

3.014,1

Serra Imeri
(AM)

2010
Pico 31 de
Março

2.992,4

Serra Imeri
(AM) – Fronteira com a Venezuela

2010

Pico da Bandeira

2.889,8

Serra do Caparaó
(MG / ES)

OK (1992)
Pico do Cristal

2.798,0

Serra do Caparaó
(MG)

OK (2001)
Pico das Agulhas
Negras

2.787,0

Serra do Itatiaia
(MG / RJ)

2009
Pedra da Mina

2.770,0

Serra da Mantiqueira
(MG / SP)

Não
Pico do Calçado

2.766,0

Serra do Caparaó
(ES / MG)

OK (2008)
Monte Roraima

2.727,3

Serra do Pacaraima
(RR) – Fronteira com a Venezuela e Guiana

Não
Pico Três Estados

2.665,0

Serra da Mantiqueira
(SP / MG / RJ)

Não
Pico do Cadorna

2.596,0

Serra Imeri
(AM) – Fronteira com a Venezuela

Não

Correção das alturas dos Picos – IBGE – 07.2008

Picos

Altitude Anterior
(m)

Altitude
Atualizada
 (m)

Localização

Pico da Neblina

3.014,1

2.993,78 (A)

Serra Imeri
(AM)

Pico 31 de
Março

2.992,4

2.972,66 (A)

Serra Imeri
(AM) – Fronteira com a Venezuela

Pico da Bandeira

2.889,8

2.891,98 (B)

Serra do Caparaó
(MG / ES)

Pico do Cristal

2.798,0

2.769,70 (B)

Serra do Caparaó
(MG)

Pico das Agulhas
Negras

2.787,0

2.791,55 (A)

Serra do Itatiaia
(MG / RJ)

Pedra da Pedra da Mina

2.770,0

2.798,39 (A)

Serra da Mantiqueira
(MG / SP)

Pico do Calçado

2.766,0

Serra do Caparaó
(ES / MG)

Monte Roraima

2.727,3

2.734,06 (C)

Serra do Pacaraima
(RR) – Fronteira com a Venezuela e Guiana

Pico Três Estados

2.665,0

Serra da Mantiqueira
(SP / MG / RJ)

Pico do Cadorna

2.596,0

Serra Imeri
(AM) – Fronteira com a Venezuela

(A) IBGE – 13.09.2004
(B) IBGE – 02.12.2004
(C) IBGE – 29.07.2005

Nova medição revela mudança de posição entre o Pico da Pedra da Mina e o Pico das Agulhas Negras

Localizados no estado do
Amazonas, mais precisamente no município de São Gabriel de Cachoeira, o
Pico da Neblina e o Pico 31 de Março são os dois pontos mais altos do
Brasil. A nova medição apenas confirmou os dados que já haviam sido
divulgados em outras expedições a essas regiões. A novidade, no
entanto, ficou por conta da mudança de posição entre os dois maiores
picos da Serra da Mantiqueira. A suspeita, que já existia, pôde agora
ser confirmada pelo IBGE: o Pico da Pedra da Mina, localizado no
município de Passa-Quatro, Minas Gerais, é mais elevado do que o Pico
das Agulhas Negras, pertencente à Itatiaia, no Rio de Janeiro.

Medições anteriores eram feitas com barômetro

Instituição oficial de Geografia e gestor do Sistema Geodésico Brasileiro, o IBGE é o órgão
responsável pela correta caracterização do território brasileiro, bem
como pela divulgação de informações sobre a sua dimensão espacial.

Antes de 2004, a última
medição havia sido feita na década de sessenta pelo Ministério das
Relações Exteriores, através da Primeira Comissão Demarcadora de
Limites. Naquela época, utilizou-se o barômetro, instrumento criado no
século XVII para indicar a pressão atmosférica, a altitude e prováveis
mudanças do tempo. A partir da criação de novas tecnologias, tornou-se
possível medir com mais precisão as altitudes dos mais elevados pontos
do País. O GPS (em inglês, Global Positioning System) foi desenvolvido nos Estados Unidos e começou a ser comercializado a partir dos anos oitenta.

Monte Roraima é marco da fronteira entre Brasil, Venezuela e Guiana

O Monte Roraima é um
imenso platô que surge no meio da floresta amazônica. Ele marca a
tríplice fronteira, se estendendo pelos territórios venezuelano – onde
está sua maior porção-, guianense e brasileiro – onde ficam 15% de sua
área total e onde foi realizada a medição do pico mais alto. Segundo a
lenda dos índios caribés, o monte é a morada do deus Macunaíma. Para
proteger a região do pico, foi criado em 1989 o Parque Nacional do
Monte Roraima.

No final do século 19, o
botânico inglês Everard Im Thurn atingiu o topo do Roraima pela
primeira vez. O relato da viagem teria servido de inspiração para o
escritor Arthur Conan Doyle (criador do Sherlock Holmes) escrever o
livro "O Mundo Perdido".
PS :
As novas medições foram inicializadas pelo Projeto Pontos Culminantes do IBGE inicializados em 2004.

Deixe uma resposta