Hoth não poderá mais ser um refúgio dos rebeldes , pois está desaparecendo.

Hoth da vida real , que foi fimlado em Hardangerjøkulen , na Noruega está derretendo e pode desaparecer aproximadamente em 2100.

Qualquer fã de Star Wars reconhecerá o planeta de gelo remoto Hoth, a localização de algumas das cenas mais emblemáticas do Episódio V: O Império Contra-Ataca, incluindo o ataque à Base Eco da Aliança Rebelde por Imperial Walkers e o resgate audaz de Luke Skywalker depois que seu tauntaun foi atacado por um wampa.

Poucas pessoas sabem  que aquelas cenas lendárias foram filmadas em um tampão de gelo norueguês chamado Hardangerjøkulen.

Quando o filme foi filmado em 1980, a equipe teve que lidar com temperaturas abaixo de zero e ventos gelados. No entanto, quase quarenta anos depois, a vida real Hoth está desaparecendo. De acordo com um artigo recente de Henning Akesson et al., Publicado em 27 de janeiro de 2017 em The Cryosphere, a calota de gelo é extremamente sensível a pequenas mudanças de temperatura e, portanto, vulnerável à mudança climática à medida que as temperaturas globais continuam a aumentar.

Akesson explica em um artigo para ScienceDirect que, devido ao aumento das temperaturas, é provavel que Hardangerjøkulen poderia completamente derreter em 2100, se as tendências continuam. Uma vez que derreta, ele e sua equipe afirmam que a calota de gelo nunca mais voltará.

Os autores do estudo explicam, Hardangerjøkulen está localizado no sul da Noruega e foi medido em 73 quilômetros quadrados (28 milhas quadradas) em 2012.

É geralmente plana no interior e tem vários glaciares mais íngremes ao longo da borda da calota que drenam o gelo do platô. Dois destes glaciares, Midtdalsbreen e Rembesdalsskaka, recuaram 150 metros (492 pés) e 1.386 metros (4.547 pés), respectivamente, desde 1982. Akesson baseia seu estudo de Hardangerjøkulen na modelagem, ao contrário de medições ou observações.

Os residentes locais observaram diferenças notáveis em Hardangerjøkulen. Grete Hovelsrud, pesquisador sênior do Nordland Research Institute e vice-presidente da Academia Científica Norueguesa para Pesquisa Polar, disse ao GlacierHub que a perda potencial de Hardangerjøkulen é “muito triste”.

 

 

Deixe uma resposta