Deus e Einsten – An Article from Arthur C. Clarke

Deus e Einsten
Durante alguns anos andei quebrando a cabeça com o seguinte paradoxo astroteológico. É duro de se crer que ninguém mais tenha algum dia pensado no assunto, e se assim falo é porque nunca vi debatido em parte alguma.
Um dos fatos mais firmemente estabelecidos da física moderna e que constitui a base da Teoria da Relatividade de Einstein é que a velocidade da luz é o limite de velocidade do universo material. Nenhum objetom nenhum sinal, nenhuma influência pode de modo algum viajar mais rápido do que a luz. Por favor, não me pergunte por que é que isto tem que ser assim; é que o Universo nasceu assim, e pronto. Ou pelo menos é o que parece ser no momento.
Mas acontece que a luz não leva milhões e sim bilhões de anos para atravessar até mesmo a parte da criação que podemos observar com a ajuda dos nossos telescópios. Por conseguinte: se Deus obedece às leis que aparentemente Ele estabeleceu, a qualquer dado momento Ele pode controlar somente uma fração infinitesimal do Universo. Então todo este inferno poderia (literalmente?) soltar-se e desandar a uma distância de dez anos-luz, o que no espaço interestelar representaria no mínimo dez anos até chegar aos ouvidos do bom Deus. E então passariam mais outros dez anos, isto no mínimo, até que Ele pudesse chegar ao local para poder consertar as coisas…
Você pode responder, dizendo que isto é uma ingenuidade das mais cretinas – pois Deus já esstá “em toda parte”. Talvez seja assim, mas isso realmente é o mesmo que dizer que os Seus pensamentos e a Sua influência podem viajar a uma velocidade infinita. Então neste caso o limite de veolicdade de Einstein não é absoluto; pode ser ultrapassado.
As implicações que isto traz são profundas. Sob o ponto de vista humano, não é mais absurdo – embora possa ser presunçoso – esperar que um dia possamos ter conhecimento das partes mais distantes do Universo. O passo de mesma como a velocidade da luz se desenvolve não precisa ser uma limitação eterna, e quem sabe se um dia não podemos agarras com nossas mãos as galáxias mais remotas.
Mas, por outro lado, pode acontecer que o prórpio bom Deus esteja limitado pelas mesmas leis que governam os movimentos de elétrons e prótons, estrelas e espaçonaves. E ai é que pode se esconder a causa de todas as nossas dores de cabeça.
Ele vem vindo justamente na marcha que Ele pode, mas não há nada que nem sequer Ele possa fazer com aqueles adoidados 300.000 quilômetros por segundo.
E todo mundo acha que Ele vai chegar aqui atrasado.
Arhur C. Clarke

 

Deixe uma resposta