Coolers… Adeus Coolers…

Processadores auto-refrigerados deverão aposentar coolers mecânicos

A empresa emergente Thorrn Micro Technologies apresentou um sistema para resfriamento de chips que não tem partes móveis e que produz vento suficiente para resfriar um laptop inteiro.

 

Cooler de estado sólido

 

O exaustor de estado sólido produz uma corrente de ar três vezes maior do que um “cooler” mecânico típico, mesmo tendo apenas um quarto do tamanho. Como não possui partes móveis, o dispositivo é silencioso, ultra-fino, apresenta baixíssimo consumo de energia e praticamente não requer manutenção.

 

Vento iônico

 

Batizado de RSD5, o cooler de estado sólido é formado por uma série de fios que produzem plasma em micro-escala – plasma é um gás ionizado que possui elétrons livres suficientes para transmitir eletricidade.

 

Os fios ficam no interior de superfícies meia-cana – equivalentes a um cano cortado na longitudinal. Uma placa não carregada eletricamente é posta sobre o conjunto, funcionando como uma espécie de tampa.

 

Quando os fios são submetidos a uma corrente elétrica, os íons do plasma resultante empurram as moléculas de ar do fio para a placa, gerando o vento. O fenômeno é chamado de vento corona.

 

Refrigeração miniaturizada

 

O projeto da superfície curva permitiu o controle das descargas em micro-escala até o nível de produção máxima de vento sem o risco de formação de arcos elétricos. O resultado é uma corrente de ar de 2,4 metros por segundo. O maiores coolers mecânicos produzem fluxos de ar entre 0,7 e 1,7 metros por segundo.

 

“A tecnologia tem potência para resfriar um chip de 25 watts utilizando um dispositivo de menos de 1 centímetro cúbico e um dia poderá ser integrada no silício para se produzir chips auto-refrigerados,” diz Dan Schlitz, um dos criadores do exaustor de estado sólido.

 

Este lançamento comercial é resultado da pesquisa sobre motores de vento iônico mostrada na reportagem Motores de vento iônico farão resfriamento de chips, publicada em meados de 2007.

fonte : Inovação tecnológica

Deixe uma resposta